Tudo Sobre o Assassinato do Duda do Marapé

Webnode
13/04/2011 17:48

FUNK ESTÁ DE LUTO MC DUDA MARAPÉ 

Mas Naquela Triste Esquina Um Sujeito Apareceu                                                  

Com A Cara Amarrada Sua Aura Estava Um Breu                                                    

Carregava Um Ferro Em Uma De Suas Mãos                                                      

 Apertou O Gatilho Sem Dar Qualquer Explicação                                            

E O Pobre Do Nosso Amigo Que Foi Pro Baile Curtir                                      

Hoje Com Sua Família Ele Não Irá Dormir                                                             

 

Trecho Rap Do Silva : Mc Bob Rum 

 A polícia ainda não tem pistas de quem matou 

 Morto com dez tiros

Corpo do MC Duda do Marapé é enterrado no Cemitério da Areia Branca, em Santos

Fernando Diegues


Créditos: Walter Mello
 

 

Foi enterrado na manhã desta quarta-feira o corpo do cantor Eduardo Antônio Lara, o MC Duda do Marapé, de 26 anos. Ele foi assassinado com dez tiros na madrugada de terça-feira no Valongo, em Santos.

O sepultamento aconteceu por volta das 10h30 no Cemitério da Areia Branca. Ainda no velório, na Santa Casa, o irmão de Duda, Emerson Noé Lara, de 38 anos, comentou sobre a apresentação que a vítima fez poucas horas antes de morrer:

"Amigos disseram que no último show ele 'arrebentou', parecia até que sabia ser o último", disse.

Durante o enterro, amigos e parentes cantaram a música Lágrimas, de autoria da vítima, e velas foram acendidas na frente de sua campa. Entre aplausos, algumas pessoas gritaram "valeu Duda".

Tiros

Duda do Marapé foi assassinado com dez tiros sob o viaduto do terminal rodoviário, no Valongo, em Santos. O local é conhecido como Cracolândia, em razão do comércio e consumo intenso de entorpecentes. Perto do corpo foram achadas cápsulas de calibre .40.

O resgate chegou a ser chamado, mas o cantor faleceu no local.

A Tribuna On Line

 

Lágrimas

MC Duda do Marapé

Composição : Mc Duda do Marapé

Lágrimas caem quem já passou no   sofrimento
Coração bate acelerado mó saudade
Na minha vida toda só tive arrebento
Família minha, meus amigos de verdade
Era muito longe as vezes não tinha visita
Graças a Deus os companheiros lá da ilha
Sempre chegaram e nunca esqueceram de mim
Em qualquer situação eu ia até o fim
Mais mesmo assim a saudade continuava
E a depressão dominava na madrugada
E lá no pátio na direta andava só
Os companheiros diziam conversa que é melhor
Um dia que igual aos outros estava fazendo uma letra
Dos amigos meus que estão bem lá no céu
No mesmo dia tinha atracado um sedex
Do meu pai escrito, Eduardo a saudade é cruel
Você seguiu essa vida porque tu quis
Eu e sua mãe que te amamos estamos aqui
Infelizmente tu se encontra ai
A nossa vida aqui fora ta infeliz.

Caem lágrimas, caem agora
E vão embora, no rosto rolam, rolam, rolam
Varias lágrimas caem agora,
E vão emboram
No rosto rolam
De quem te adoram
No rosto rolam
Lágrimas !

Morto à queima roupa

Enterro do cantor de funk, Duda do Marapé, será nesta quarta-feira

Fernando Diegues


 

 

O enterro do corpo do cantor de funk Eduardo Antônio Lara, o Duda do Marapé, de 27 anos, será realizado às 10 horas desta quarta-feira, no Cemitério da Areia Branca. 

Duda foi morto com ao menos nove tiros à queima roupa na madrugada desta terça-feira, sob o elevado da Rodoviária, no Centro de Santos. O local é conhecido como a cracolândia da Cidade, em razão do comércio e consumo intenso de entorpecentes. Testemunhas disseram aos investigadores que homens armados em uma moto passaram pelo local, pouco antes das 6 horas, e efetuaram os disparos.

O assassinato aconteceu por volta das 5 horas. O irmão da vítima, Emerson Noé Lara, de 38 anos, contou que Duda tinha feito um show no Centro pouco antes de ser morto. “Estava indo para casa, não sei o que ele estava fazendo ali (na cena do crime), se estava passando ou se estava com alguém”.

Uma testemunha contou ter visto um carro chegar ao local, o marginal desceu do veículo, disparar contra a vítima e fugir. O atirador segurava uma lata de cerveja, conforme o relato.

A Polícia Militar encontrou a vítima caída no chão. Perto do jovem foram encontradas cápsulas de calibre .40. A perícia foi acionada.
O resgate chegou a ser chamado, mas Duda faleceu no local. Posteriormente o corpo foi encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML) de Santos para realização de exame necroscópico.

Premiado

O irmão de Duda contou que o rapaz cantava há cerca de oito anos e que já recebeu prêmios como revelação no começo da carreira e pela música “lágrimas”. “Cantava na Baixada Santista, São Paulo e foi para o Rio de Janeiro também”. O irmão disse que desde garoto Duda do Marapé gostava de música.

“Ele era uma pessoa boa. Era brincalhão”. A família não faz ideia do que teria motivado o crime. O parente comentou que a vítima não tinha inimigos nem estaria sofrendo ameaças.

A Tribuna On Line

 

 

  

O cantor de funk Eduardo Antônio Lara, conhecido como Duda do Marapé, foi morto a tiros, embaixo do viaduto do Valongo, no centro de Santos, no litoral paulista, na região conhecida como cracolândia, na terça-feira (12).

As marcações no chão feitas pela perícia da polícia mostram que pelo menos 12 tiros foram disparados contra a vítima, que animava eventos há cinco anos. Calçados, roupas da vítima e outros vestígios ficaram no local do crime.

Segundo a polícia, as balas que mataram o cantor partiram de uma pistola calibre 40. Ainda não se sabe como o crime aconteceu, pois não foi encontrada nenhuma testemunha do crime.

O cantor teria se apresentado em uma casa noturna da cidade na noite de segunda-feira (11). A morte vai ser investigada pelo 1º Distrito Policial de Santos. A suspeita é de que o cantor tenha sido vítima de uma execução. A polícia também vai investigar se a vítima tinha envolvimento com drogas.

R7.com